Poesía cercana, Geraldes de Carvalho





Assim, assim…

O que eu sou
não era há pouco
porque o só de pensar nisso
me transformou e deixou
como outro que eu não era
nem queria nunca ser,
ou quisera...
Dizei-me por isso agora
como vou poder viver
sem ser o que era há pouco
mas tendo disso o saber
como se fora
se fora
o meu neto
o meu avô
e, enfim
sabendo todo o futuro
e o passado também
como se a minha ascendência 
e a minha descendência
vivessem dentro de mim
e eu fosse outro mas o mesmo
assim, assim...


Geraldes de Carvalho

Comentarios

Maria ha dicho que…
Inconformismo, infelicidad y vivir en una eterna inquietud.
Saludos

Entradas populares